Salmos 5: Orando Por Proteção Contra os Ímpios

Por

Ao mestre da música. Para flautas. Salmo Davídico

A palavra hebraica para o instrumento é Nehiloth; que se origina de outra palavra que significa “perfurar”, “abrir um furo”, de onde se veio a entender uma flauta, portanto, é provável que se pretendesse que essa música fosse cantada com o acompanhamento de instrumentos de sopro, como o cornetim, trompa, flauta ou trompete.

No entanto, é apropriado observar que não estamos certos da interpretação desses títulos antigos, porque a Septuaginta o traduz: “Para aquele que obterá uma herança”, e Aben Ezra acha que denota alguma melodia antiga e bem conhecida com a qual este salmo deveria ser cantado.

Mesmo os maiores estudiosos confessam a dificuldade que existe para se interpretar precisamente o título; mas isso não deve nos preocupar, pois é uma prova de como o Livro é antigo.

Através dos Salmos 1, 2, 3 e 4, pode-se notar que o tema é um contraste entre a posição, a personalidade e o futuro dos justos e ímpios.

Neste salmo, você nota a mesma coisa.

O salmista expõe um contraste entre ele próprio, tornado justo pela graça de Deus, e o ímpio que se opõe a ele. Para a mente piedosa, aqui temos uma visão prévia do Senhor Jesus, de quem se diz que nos dias de sua carne ele fez subir orações e súplicas com forte clamor e lágrimas.

A Divisão do Salmos 5

  • Do primeiro ao sétimo versículo:
    • Na primeira parte: Davi implora veementemente ao Senhor para que ouça sua oração;
  • Do oitavo ao décimo segundo:
    • Na segunda parte, ele passa de novo pelo mesmo caminho

Argumentações Para Ajudar o Pregador no Salmo 5

Sal 5.1,2: Dá ouvidos às minhas palavras, ó SENHOR; atende à minha meditação. Atende à voz do meu clamor, Rei meu e Deus meu, pois a ti orarei.

Salmos 5.1,2 – A Oração Tríplice: Palavras, Meditação e Clamor

É a oração que mostra como falar sem coração não adianta, mas que anseios fervorosos e desejos silenciosos são aceitos, mesmo quando não expressos.

Salmos 5.3: Pela manhã, ouvirás a minha voz, ó SENHOR; pela manhã, me apresentarei a ti, e vigiarei.

Salmos 5.3: A Importância da Oração Matutina

Temos os aspectos da oração direcionada pela manhã e a vigilância quanto à resposta que o pedinte espera receber

Samos 5.4: Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniquidade, nem contigo habitará o mal.

Salmos 5.4: A Questão é Não Ter Prazer

Nós estamos sempre focados naquilo que Deus odeia, porém neste texto o salmista não está interessado em fugir daquilo que Deus odeia, mas sim de perceber o que Deus não tem prazer.

Fugir e não praticar aquilo que Deus odeia é algo que já deveríamos ter superado a muito tempo.

Nossa preocupação agora é saber tudo aquilo que não traz o “Prazer de Deus”, pois assim poderemos honrá-Lo e adora-Lo

Salmos 5.5,6: Os loucos não pararão à tua vista; aborreces a todos os que praticam a maldade. Destruirás aqueles que proferem a mentira; o SENHOR aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento

Salmos 5.5,6: Loucos e Arrogantes

Não é uma questão de “xingar” os pecadores e nem mostrar desprezo pelas pessoas deles. Não é um olhar orgulhos, mas é apenas perceber o quanto são aquilo que são porque são.

Deus em sua santidade e justiça, só lhe restará abater o mal porque nada que seja mentira subsistirá a Deus. Nenhuma injustiça ficará impune diante do Senhor

Só o amor de Deus manifestado por meio de seu povo é capaz de resgatar o prisioneiro antes que ele chegue na presença do “Justo Juiz”

Salmos 5.7: Mas eu entrarei em tua casa pela grandeza da tua benignidade; e em teu temor me inclinarei para o teu santo templo.

Salmos 5.7: Reconhecendo a Benignidade de Deus

É o amor e a bondade de Deus que nos deixa entrar em Sua presença e ao reconhecer isso, só precisamos nos inclinar com temor.

Nossa decisão diante destas virtudes de Deus são de responsabilidade nossa e portanto também condenatórias, pois se não o fizermos, seremos responsabilizados em dobro

I. Impressionado com um sentimento da bondade divina: “Entrarei em tua casa pelo teu grande amor”,
II. Cheio de veneração santa: “com temor me inclinarei”

Salmos 5.8,9: SENHOR, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos; aplana diante de mim o teu caminho. Porque não há retidão na boca deles; o seu íntimo são verdadeiras maldades; a sua garganta é um sepulcro aberto; lisonjeiam com a sua língua.

Salmos 5.8,9: A Direção de Deus

A direção de Deus é sempre necessária, especialmente, quando os inimigos estão nos vigiando.

Ou nos humilhamos em busca de uma direção do Altíssimo, ou seremos surpreendidos na próxima esquina por nossos inimigos

Veja que quando se trata dos inimigos (verso 9), não ha nada certo e sim apenas engano e podemos estar à mercê desses encantamentos

Não podemos ignorar os “ardis de Satanás” que está sempre ao “derredor” para nos atrair ao seu ninho de impiedade e imundícia.

Mas, se a direção de Deus nos for dada, então estaremos protegidos dos “dardos inflamados” do adversário

Salmos 5.10: Declara-os culpados, ó Deus; caiam por seus próprios conselhos; lança-os fora por causa da multidão de suas transgressões, pois se revoltaram contra ti.

Salmos 5.10: Suplicando Pela Justiça de Deus

Eles são vistos como ameaças ao homem de bem e por isso devemos expô-los diante de Deus para que a vingança seja Divina e não humana:

“Expulsa-os por causa de seus muitos crimes” serve de base para um discurso muito solene.

Salmos 5.11: Mas alegrem-se todos os que confiam em ti; exultem eternamente, porquanto tu os defendes; e em ti se gloriem os que amam o teu nome.

Salmos 5.11: O Caráter do Justo

O caráter dos justos: fé e amor.

Os privilégios dos justos:
I. Alegria – grande, pura, satisfatória, triunfante, cantem sempre de alegria (exultem).
II. Proteção – por poder, providência, anjos, graça.

Alegria no Senhor tanto um dever como um privilégio.

Salmos 5.12: Pois tu, SENHOR, abençoarás ao justo; circundá-lo-ás da tua benevolência como de um escudo.

Salmos 5.12: Duas Cláusulas

I. A bênção divina sobre os justos. É antiga, eficaz, constante, irreversível, supera a tudo, eterna, infinita.

II. A consciência do favor divino é uma defesa para a alma.
Este salmo é comumente conhecido como o primeiro dos SALMOS DE PENITÊNCIA. Os outros seis são

Deixe uma resposta