Você ainda Jejua?

Por

A prática do Jejum não pode ser esquecida pela Igreja. Ele se impõe como uma das armas mais poderosas que o cristão deve utilizar, porém ele tem suas próprias observações

I. O JEJUM:

  • Sua essência, explicada (Is 58.6-7);
  • Não e para ser exibido (Mt 6.16-18);
  • Deve ser para Deus (Zc 7.5; Mt 6.18);
  • Para castigo da alma (SI 69.10);
  • Para a humilhação da alma (SI 35.13).

II. OBSERVADO EM OCASIÕES DE:

  • Julgamentos dc Deus (Jl 1.14; 2.12);
  • Calamidades públicas (2Sm 1.12);
  • Aflições da igreja (Lc 5.33-35);
  • Aflições de outros (SI 35.13; Dn 6.18);
  • Aflições individuais (2Sm 12.16);
  • Aproximação de perigo (Et 4.16);
  • Ordenação de ministros (At 13.3; 14.23).

III. ACOMPANHADO DE:

  • Oração (Ed 8.23; Dn 9.3);
    Confissão dc pecado (1Sm 7.6; Ne 9.1-2);
  • Lamentação (Jl 2.12);
  • Humilhação (Dt 9.18; Ne 9.1);
  • Suas promessas (Is 58.8-12; Mt 6.18).

IV. O JEJUM DOS HIPÓCRITAS:

  • Descrito (Is 58.4-5);
  • Ostentoso (Mt 6.16);
  • Vangloriado perante de Deus (Lc 18.12);
  • Rejeitado (Is 58.3; Jr 14.12).

V. EXEMPLOS DE JEJUNS EXTRAORDINARIOS:

  • Nosso Senhor, (Ml 4.2);
  • Moisés, (Êx 34.28; Dt 9.9,18);
  • Elias, (IRs 19.8);

VI. PRATICADO NACIONALMENTE:

  • Israel, (Jz 20.26); (Ez 8.21); (Et 4.3, 16); (Jr 36.9);
  • Homens de Jabes-Gileade, (ISm 31.13);
  • Ninevitas, (Jonas 3.5-8).

VII. DOS SANTOS:

  • Davi, (2Sm 12.16; Sl 109.24);
  • Neemias, (Ne 1.4);
  • Ester, (Et 4.16);
  • Daniel, (Dn 9.3);
  • Discípulos de João, (Mt 9.14);
  • Ana, (Lc 2.37);
  • Cornélio, (At 10.30);
  • Primeiros cristãos, (At 13.2);
  • Apóstolos, (2Co 6.5);
  • Paulo, (2Co 11.27).

VII. DOS ÍMPIOS:

  • Os anciãos de Jezreel, (I Rs 21.12);
  • Acabe, (IRs 21.27);
  • Os fariseus, (Mc 2.18; Lc 18.12).

Deixe uma resposta