Cerimônia Instituição do casamento

Por

Dirigindo-se à igreja, o ministro dirá:

“Amados irmãos e amigos, estamos reunidos na
presença de Deus e destas testemunhas para unir este
homem e esta mulher no santo matrimônio, que é um
estado honroso, e portanto não deve ser contraído como
se fosse algo sem muita significação, mas com
reverência, discrição e no temor de Deus.

“Este estado santo foi instituído por Deus quando
o homem ainda era inocente. Disse o Senhor: ‘Não é
bom que o homem esteja só, far-lhe-ei uma companheira
que lhe seja idônea.’ Desta forma foram celebrados os
primeiros laços deste sagrado pacto de matrimônio,
pronunciando Deus estas palavras: ‘Portanto, deixará o
homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá à sua mulher,
e ambos serão uma só carne.’

“Cristo, nosso Salvador, honrou com sua
presença e transformou com seu poder divino as bodas
de Cana da Galiléia, realizando ali seu primeiro milagre.
Deste modo ele realçou uma reunião terrena com uma
manifestação sobrenatural.

“O apóstolo Paulo nos faz ver o aspecto
transcendental da união de um homem com uma mulher
quando compara esse amor com o amor de Cristo para
com sua Igreja. João nos faz ver que a Igreja é a noiva
de Cristo, a escolhida entre todos os seres humanos, e
que depois do arrebatamento da Igreja, as bodas mais
gloriosas que jamais foram vistas serão celebradas: As
Bodas do Cordeiro.”

Leitura bíblica

Dirigindo-se aos noivos, o ministro dirá:

  • “Ouçam, pois, a Palavra de Deus através de
    Paulo, escrita para a instrução de vocês a respeito desse
    passo tão importante que vocês estão para dar.

O apóstolo Paulo disse aos esposos:

‘Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo SE entregou por ela, para a santificar… Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres,
como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. ‘

“Pedro dá estas palavras de conselho aos esposos:

Igualmente, vós maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra a mulher, com vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações.

“Da mesma forma, ouçam o que dizem as Sagradas Escrituras às esposas:

“Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor Pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja… De sorte que assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos.”

“Semelhantemente, vós, mulheres, sede submissas a VOSSOS próprios maridos A beleza das esposas não seja o enfeite exterior, como o frisado de cabelos, o uso de jóias de ouro, ou o luxo dos vestidos, mas a beleza interior, no incorruptível traje de um espírito manso e tranqüilo, que é precioso diante de Deus.”

Oração

Entrega da noiva:

Dirigindo-se à igreja, o ministro perguntará:

“Quem entrega esta mulher para que ela se case com este homem?

O pai da noiva ou outro parente responderá: “Eu a entrego.”

Votos

Dirigindo-se ao noivo, o ministro perguntará:

“__________________(nome do noivo), você recebe esta mulher como sua legítima esposa, para viver com ela no santo estado do matrimônio, segundo o que foi ordenado por Deus? Você promete amá-la, honrá-la e cuidar dela na enfermidade ou na saúde, e, rejeitando todas as demais mulheres, ser fiel a ela enquanto os dois viverem?”

O noivo responderá: “Sim, prometo.”

Dirigindo-se à noiva, o ministro perguntará:

“__________________(nome da noiva), você recebe este homem como seu legítimo esposo, para viver com ele no santo estado do matrimônio, segundo o que foi ordenado por Deus? Promete amá-lo, honrá-lo, obedecer a ele e cuidar dele na enfermidade e na saúde, e, rejeitando todos os demais homens, ser-lhe fiel enquanto os dois viverem?

A noiva responderá: “Sim, prometo.”

Dirigindo-se aos dois, o ministro dirá:

“Segurem um na mão do outro, e repita cada um comigo:

O noivo repetirá estas palavras do ministro:

“Eu,__________________(nome do noivo), recebo você, __________________(nome da noiva), como minha legítima esposa, para que nós dois sejamos um só, deste dia em diante, para os dias bons e para os dias maus, em riqueza ou em pobreza, em prosperidade ou em adversidade, para cuidar de você e lhe amar, até que a morte nos separe.”

A noiva repetirá estas palavras do ministro:

“Eu, ___________________ (nome da noiva), recebo você, __________________(nome do noivo), como meu legítimo esposo, para que os dois sejamos um só, deste dia em diante, para os dias bons e para os dias maus, em riqueza ou em pobreza, em prosperidade ou em adversidade, para cuidar de você e lhe amar, até que a morte nos separe.”

Entrega da aliança

Dirigindo-se aos dois, o ministro perguntará: “O que vocês entregarão um ao outro como penhor destes votos?

O noivo dará a aliança ao ministro, que dirá:

“A Bíblia diz que quando Deus fez um pacto com Noé, colocou no céu um arco-íris como sinal do pacto, e disse: ‘E eu o verei para me lembrar da aliança eterna.'” “Da mesma forma, é bom termos um sinal que nos lembre a realização deste solene ato nupcial. Vocês escolheram estas alianças como sinal de seu matrimônio.

“A aliança é feita de metal precioso, que representa os vínculos que unem esposos e esposas. É uma circunferência sem fim, simbolizando a perpétua união de vocês.”

Dirigindo-se ao noivo, o ministro dirá:

“__________________(nome do noivo), tome esta aliança, coloque-a no dedo anular de sua noiva e repita comigo: ‘Com esta aliança eu me caso com você, e lhe faço dona também dos meus bens terrenos, e por este ato declaro diante de Deus e das testemunhas que a recebo como minha esposa, e que lhe serei fiel esposo.'”

Dirigindo-se à noiva, o ministro pedirá que ela repita as seguintes palavras:

“Recebo esta aliança de suas mãos, e declaro, portanto, diante de Deus e destas testemunhas que lhe serei fiel tanto na alegria como na tristeza.

“Com esta aliança selamos duplamente nossos votos, e você partilhará comigo o símbolo de nosso casamento.”

Dirigindo-se aos dois, o ministro dirá:

“Visto que vocês já declararam sinceramente o desejo de unirem-se em matrimônio, diante de Deus, e confirmaram o mesmo ao dar e receber as alianças, agora eu os declaro marido e mulher em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Aqueles aos quais Deus uniu, que nenhum homem os separe.

“Eu lhes exorto a serem fiéis aos votos que vocês fizeram aqui. Com este casamento, vocês iniciam uma vida nova com maiores responsabilidades. Só encontrarão a verdadeira felicidade se cumprirem com as obrigações que acabam de assumir.

“___________________(nome do noivo), proteja esta mulher que agora se submete ao seu cuidado, e esforce-se por viver no amor de Deus, de tal maneira que nenhuma ação ou palavra sua lance amargura sobre seu rosto, nem encham os seus olhos de lágrimas.

“__________(nome da noiva), esforce-se por conservar com suas virtudes o coração que você conquistou com sua graça.

“Aos dois eu digo:

‘Não permitam que na voz de vocês se apaguem os tons ternos de carinho, nem que os olhos de vocês percam o brilho que os fazia resplandecer durante o noivado.

Porém, e acima de tudo, esforcem-se para que Deus ocupe sempre o trono do lar que vocês estão iniciando agora.”

Bênção pastoral O ministro dirá aos noivos que se ajoelhem, e orará assim:

“O Senhor os abençoe e os guarde. O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre vocês e tenha misericórdia de vocês. O Senhor sobre vocês levante o seu rosto e lhes dê a paz.”

Deixe uma resposta