Atos 1: Divisão, Esboço e Comentário

Nesta parte de Atos, o escritor nos conta de como a Igreja começou a tomar forma na Palestina e seu progresso para “Até aos confins da terra”.

Mas, foi um passo de cada vez e os Atos dos Apóstolos está demonstrados nos Atos do Apóstolo Pedro que vai do primeiro capítulo até ao capítulo doze do livro.

Atos 1 Dividido em 5 partes:

O escritor explica já no início que este escrito se trata da continuação do que ele vinha relatando. Era uma conexão entre o Evangelho de Lucas com Atos dos Apóstolos.

1ª Os Dois Tratados – Versos 1 e 2

1. Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo quanto Jesus começou a fazer e ensinar, 

2. até o dia em que foi levado para cima, depois de haver dado mandamento, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera; 

Jesus ressuscita e fica mais quarenta dias convivendo com muitas pessoas. Desde o dia em que Ele ressuscitou até ao dia de Sua partida definitiva para o Pai, Ele apareceu a mais de 500 pessoas de forma que sua história jamais poderia ter sido um invento dos seus seguidores.

2ª Os Quarenta Dias – Versos 3 a 5

3. aos quais também, depois de haver padecido, se apresentou vivo, com muitas provas infalíveis, aparecendo-lhes por espaço de quarenta dias, e lhes falando das coisas concernentes ao reino de Deus.

4. Estando com eles, ordenou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual (disse ele) de mim ouvistes.

5. Porque, na verdade, João batizou em água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias.

Chega um dia triste e alegre ao mesmo tempo, pois Jesus prometera que enviaria o Seu Espírito Santo para ficar com a Igreja até ao dia de Seu retorno. Cristo o cabeça da igreja é elevado às alturas.

3ª A Exaltação de Cristo – Versos 6 a 11

6. Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntavam-lhe, dizendo: Senhor, é nesse tempo que restauras o reino a Israel? 

7. Respondeu-lhes: A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Pai reservou à sua própria autoridade. 

8. Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra. 

9. Tendo ele dito estas coisas, foi levado para cima, enquanto eles olhavam, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. 

10. Estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles apareceram dois varões vestidos de branco, 

11. os quais lhes disseram: Varões galileus, por que ficais aí olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi elevado para o céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir. 

Depois da exaltação de Cristo, os discípulos cumprem sua ordem de retornar para Jerusalém e aguardar o revestimento com o Espírito Santo. Esse tempo durou 10 dias de constante oração e espera.

4ª Os Dez Dias de Espera – Versos 12 a 14

12. Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, que está perto de Jerusalém, à distância da jornada de um sábado. 

13. E, entrando, subiram ao cenáculo, onde permaneciam Pedro e João, Tiago e André, Felipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão o Zelote, e Judas, filho de Tiago. 

14. Todos estes perseveravam unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele. 

Um dos apóstolos havia se perdido (Judas Iscariotes), e seu lugar havia ficado vazio. Pedro porém, entendendo que as Escrituras previu outra pessoa para ficar em seu lugar, providenciou para que o número 12 fosse novamente completo.

5ª A Eleição de Matias – Versos 15 a 26

15. Naqueles dias levantou-se Pedro no meio dos irmãos, sendo o número de pessoas ali reunidas cerca de cento e vinte, e disse:

16. Irmãos, convinha que se cumprisse a escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam a Jesus;

17. pois ele era contado entre nós e teve parte neste ministério.

18. (Ora, ele adquiriu um campo com o salário da sua iniquidade; e precipitando-se, caiu prostrado e arrebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram.

19. E tornou-se isto conhecido de todos os habitantes de Jerusalém; de maneira que na própria língua deles esse campo se chama Acéldama, isto é, Campo de Sangue.)

20. Porquanto no livro dos Salmos está escrito: Fique deserta a sua habitação, e não haja quem nela habite; e: Tome outro o seu ministério.

21. É necessário, pois, que dos varões que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor Jesus andou entre nós,

22. começando desde o batismo de João até o dia em que dentre nós foi levado para cima, um deles se torne testemunha conosco da sua ressurreição.

23. E apresentaram dois: José, chamado Barsabás, que tinha por sobrenome o Justo, e Matias.

24. E orando, disseram: Tu, Senhor, que conheces os corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhido

25. para tomar o lugar neste ministério e apostolado, do qual Judas se desviou para ir ao seu próprio lugar.

26. Então deitaram sortes a respeito deles e caiu a sorte sobre Matias, e por voto comum foi ele contado com os onze apóstolos.


Atos 1: Esboço Para Maior Compreensão

Este é o segundo livro de Lucas. Ele faz uma breve recapitulação dos acontecimentos anteriores que o trouxera até ali.

Começa com o que Jesus fez e continua a fazer e fecha o capítulo fechando também uma seção onde Judas é substituído e tudo recomeça.

I. Encontro Marcado no Monte das Oliveiras (1.1-11)

  1. A reafirmação de Jesus (1.1-8)
    1. A confirmação (1.1-3)
      1. O relator (1.1b): Lucas, o médico, escreveu o Evangelho de Lu­cas e é o autor do livro de Atos.
      2. O receptor (1.1a): Ele direciona seu escrito para alguém chamado Teófilo.
      3. O motivo (1.2-3): Ele escreve para confirmar a ressurreição de Jesus Cristo.
    2. Jesus ordena (1.4-5): Os discípulos (agora chamados de “apóstolos” em Atos) devem permanecer em Jerusalém até que sejam emergidos com o Espírito Santo.
    3. Confusão sobre o Reino: (1.6): Os apóstolos querem saber se Jesus estabelece­rá seu Reino naquela hora.
    4. Jesus explica (1.7): Jesus lhes diz que o Pai determinará quan­do isso acontecerá.
    5. O Ide de Jesus (1.8): Enquanto isso, eles devem testemunhar de Jesus em Jerusalém, Judéia, Samaria e até os confins da terra.
  2. A exaltação de Jesus (1.9-11)
    1. A ação (1.9): Jesus é levado diante dos olhos deles.
    2. Os acompanhantes (1.10): Dois homens, com vestes brancas, apa­recem repentinamente ao lado dele.
    3. O consolo (1.11): Os dois varões dizem aos homens maravilha­dos que Jesus voltará um dia da mesma forma como partiu.

II. Os Atos no Cenáculo (1.12-26)

  1. Reunidos em oração (1.12-15): Os ali presentes.
    1. Os onze apóstolos (1.12-13).
    2. Maria, mãe de Jesus, e outras mulheres bondosas (1.14a).
    3. Os meio-irmãos de Jesus (1.14b).
    4. Ao todo, cerca de 120 pessoas (1.15).
  1. A reunião de trabalho (1.16-26)
    1. Com relação à traição de Judas (1.16-20)
      1. O suicídio (1.18-19): Lucas registra como Judas morreu.
      2. As Escrituras (1.16-17, 20): Pedro cita os Salmos 69.25 e 109.8, que predizem a morte e a substituição de Judas.
    2. Com relação à escolha de Matias (1.21-26)
      1. As condições (1.21-22): O novo apóstolo tem de ser crente há bastante tempo e alguém que viu o Cristo ressurrecto.
      2. Os candidatos (1.23): Dois homens são citados: Barsabás e Ma­tias.
      3. O concilio (1.24-25): Os discípulos buscam a vontade de Deus, orando e fazendo sorteio.
      4. A escolha (1.26): O sorteio recai sobre Matias.

Deixe uma resposta