Categorias
Gênesis Pregação Expositiva

Comentário de Gênesis 1.1-3 Destruindo Heresias

Destruindo o Ateísmo, Panteísmo e Mãe Natureza como fonte do mero acaso. Primeiro você percebe que observamos algumas palavras chaves de Gênesis Capítulo 1.1-3. Assim nós trabalhamos os seguintes tópicos:

  • I. SEM DÚVIDAS, O ATEÍSMO É UMA LOUCUR;
  • II. TAMBÉM, O PANTEÍSMO É UM ABSURDO;
  • III. A MATÉRIA NÃO É ETERNA COMO MUITOS QUEREM;
  • IV. O MUNDO NÃO FOI UMA COMBINAÇÃO FORTUITA DE ÁTOMOS;
  • V. LOGO, A CRIAÇÃO É RESULTADO DO PODER SOBRENATURAL

A. No início: Tem significados tais como:

“em primeiro lugar”, “originalmente”, “para começar:” podemos compara com João 1:1 Deus: Heb.’Elohim’. O Nome Divino trás sempre alguns sentidos:
(1). Sua concepção radical de PODER;
(2). Sua forma – PLURAL, ou “de excelência”, ou “de abstração”, como em “senhorio” para “senhor”
(3). Sua construção – Como criador que é

Elohim ═ “Um ser de poderes múltiplos, ou a personificação viva do poder na sua concepção mais radical”, ocorre cerca de 2.500 vezes.

B. E a terra: Aqui implica um contraste, sugerindo que na construção do mundo aconteceu algo consequente da criação. Notamos isso quando vemos a palavra: “mas”: “Mas A TERRA!“.

O expositor das Escrituras deve expôr o acontecido “Mas A TERRA tornou-se” – Se devido à criação, ou à consequências das explosões na criação o texto não diz. Apenas diz que ela ficou “sem forma e vazia“: Heb. thóhu e bhóhu.

Esta expressão que descreve a Terra ocorre apenas três vezes:

  • Gn 1.2
  • Gn 34.11
  • Jr 4.23

C. E disse Deus: Por causa disso, ou já que está como está “Então Deus disse:” = a partir daqui as coisas começam a se desenrolar aos olhos se alguém tivesse a chance de estar observando. Deus cria a Luz. Interessante que a “Luz” é criada, mas esta não vem nem do sol nem das estrelas que foram criadas no dia quatro. Qual decepcionante para os adoradores do deus sol.

D. Boa: Também: “justo”, “bem”, “belo”; O idioma hebraico marca a sequência dizendo que foi assim que se tornou um dia.

E. Firmamento: Também traduzido como “extensão”, “Algo batido para fora.” “Expandido”.

I. SEM DÚVIDAS, O ATEÍSMO É UMA LOUCURA
No princípio, Deus.” Sempre houve quem negasse a existência de Deus. Todos ao longo dos séculos as suas vozes foram ouvidas, seus livros foram lidos, e seus argumentos foram promulgadas.

O ateísmo é o ápice da loucura que o homem é capaz. O ateu deve ser cego para todas as aparências de Criação. A voz do tolo é falar em seu coração que Deus não existe.

É no seu coração que ele diz, pois não ousa dizer alto e com bom som suas malignas conclusões sobre a inexistência de Deus. De modo criminoso, e tão criminoso ele pensa sem dizer palavras, e só por isso susceptíveis de atrair o castigo dos céus.

Veja Como é Fácil Provar o Absurdo do Ateísmo:

  1. Pela história da criação do mundo:

Como a criação do mundo foi narrado, seria impossível ter sido mais claro e evidente, de modo simples e acima de tudo com autoridade Divina. As próprias coisas que vemos e que não vemos, mas sabemos que existem, são provas cabais. Se tudo isso é mentira, um conto de fada, o homem também o é. Mas não podemos negar nossa existência e tão pouco a do universo – então foi realmente assim. Notemos que a primeira coisa inspirada que se tem conhecimento já é sobre a Criação e nada seria mais lógico. Deus se mostra nessa inspiração sua onipotência. Uma causa adequada para o efeito. E o homem só pode narrar a fabulosa história, por que o próprio Criador estava dizendo como foi. Logo o primeiro versículo da Criação é suficiente para tremermos e sentir o peso do poder onipotente do Criador.

2. Pela existência de tudo que é belo e maravilhoso ao nosso redor:

Tudo que entra em harmonia na criação, as flores, os pássaros, as raízes das plantas inteligentes que extraem substâncias da terra, transforma em nutrientes, leva para suas folhas, para seus frutos, após ter transformado em nutrientes servindo de alimento ao homem – tudo veio do pó, por que somos pó e ao pó tornaremos. Só esse fato apenas é suficiente para derrubar o ateísmo. Nem precisamos mostrar as estrelas que por sua vez evocam louvores ao seu criador.

3. Pelas convicções morais da humanidade

Os próprios idólatras, pessoas de todos os cantos do mundo não conseguem admitir a existência da criação sem que alguém superior esteja por trás. Incapazes de perceber as Escrituras, adotam ídolos de barro, pedra, astros ou qualquer outra criatura demonstrando assim que existe uma divindade. São incapazes de serem ateus.

II. TAMBÉM, O PANTEÍSMO É UM ABSURDO
Estes textos já batem direto com o problema do panteísmo. Logo no início das Escrituras já denuncia que o mundo foi uma criação e não algo que se emanava espontânea, ou naturalmente de um misterioso algo conhecido apenas no vocabulário de uma filosofia cética.

Se o mundo é uma criação, teve um Criador pessoal, distinto e separado de tudo e de todos como um ser independente. É verdade, o Ser Divino está presente em todo o universo, mas Ele é, no entanto, independente, e distinto de sua criação. Ele é a divindade do Templo. Ele é o Rei do reino. Ele é o ocupante da Casa, mas não é aquela coisa estática, parada em determinado lugar e que as coisas iam crescendo a partir dele e ligadas a ele como quer o panteísmo.

III. A MATÉRIA NÃO É ETERNA COMO MUITOS QUEREM
Gn 1.1 “No princípio.” Com essa palavra, se torna evidente que a matéria tinha um começo. Ele foi criada pelo poder divino. Nascendo em um determinado tempo ela até faz um aniversário.

Muitos homens considerados inteligentes acreditam na eternidade da matéria. Mas em Genesis já derruba brutalmente esse pensamento e coloca termos, limites e épocas na “mãe natureza”.

IV. O MUNDO NÃO FOI UMA COMBINAÇÃO FORTUITA DE ÁTOMOS
Gn 1.1 “No princípio criou Deus.” Assim, o mundo era uma criação. O que aconteceu foi o exercício da inteligência suprema e de uma vontade independente. Não era a expressão em símbolo de grandes pensamentos, e também de simpatias Divinas. Se os átomos foram originalmente dotado de tal inteligência e visão como combinar-se instintivamente em tais belas formas e usos maravilhosos, como se vê no mundo, como é que vamos explicar a sua degeneração, como acontece actualmente em que aparecem totalmente desprovido de qualquer poder. Como é que nós não somos os espectadores de um pouco de criação espontânea agora, similar ao do antigamente como eles querem?

V. LOGO, A CRIAÇÃO É RESULTADO DO PODER SOBRENATURAL
Gn 1.1 “No princípio Deus criou.” Nem o homem estava presente para testemunhar a criação, e só Deus nos deu uma breve e dogmática conta disso. Deus é mistério, portanto sua criação também é um mistério.

Qual limitado ainda, é o conhecimento do homem em relação à si mesmo. A ciência pode alardear suas descobertas, mas o mistério da criação está mais aberta ao leitor cristão desse registro, do que para o filósofo que só estuda com o objetivo de inquérito e curiosidade.

Mas há muito menos mistério no conto mosaico da criação do que em qualquer outro lado, uma vez que é o mais natural, o mais provável, e realmente o mais científico, já que nos dá uma causa adequada para o efeito. A recriação da alma é a melhor explicação para a criação do universo, e de fato de todos os outros mistérios de Deus.

Deixe uma resposta