Jesus Revelado no Livro de Gênesis

Jesus Revelado no Livro de Gênesis, o livro dos começos de todas as coisas, como a raiz de uma árvore, sem ela, não existe caule, folhas, flores e fruto.

”No princípio criou Deus o céu e a terra. … E Deus disse – Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gn 1:1,26). 

Jesus Estava Presente na Criação:

Inquestionavelmente temos aqui o nome de Deus em sua forma plural – Elohim – e o pronome plural Us e podemos comparar com os seguintes textos:

  • ”No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. O mesmo foi no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1:1-3).
  • ”O Senhor me possuiu no início de Seu caminho, antes de Suas obras antigas. Fui criado desde a eternidade, desde o princípio, ou sempre [isto é, antes] que a Terra existisse. Quando Ele preparou os céus, eu estava lá, … Quando Ele estabeleceu os fundamentos da terra.” (Pv 8:22-29).
  • ”Tu me amaste antes da fundação do mundo”, disse Jesus a Seu Pai quando Ele estava prestes a dar a Sua vida por nós ( Jo 17:24 ).

Assim, no princípio de todas as coisas, vemos nosso Salvador eterno, o Filho de Deus, “a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, por quem também fez os mundos” (Hb 1:2).

Gênesis é “o livro dos começos ou das origens”, e talvez por isso, é o mais difamado e atacado por pretensos sábios. Mas é nele e através dele que podemos entender a situação do mundo em que vivemos e saber que Jesus Revelado no Livro de Gênesis.

Jesus Revelado no Livro de Gênesis

Nosso Senhor Jesus Cristo não só está presente no Livro de Gênesis, como antes dele.

Fez parte da criação e nada do que foi criado, aconteceu sem sua presença.

I. O Início da Criação Mostra Jesus Revelado no Livro de Gênesis:

O odiado livro de Gênesis (e também muito amado), nos dois primeiros versos já refuta várias heresias filosóficas e aqui podemos citar algumas:

  1. Ateísmo: Deus estava no “início” e sem Ele não haveria nada. É no início que aprendemos sobre Seu poder, sabedoria, criatividade e unidade.
  2. Politeísmo: Na Criação o politeísmo é totalmente refutado porque mostra apenas um Deus, não muitos.
  3. Panteísmo: Não há lugar para o panteísmo – Deus está antes de todas as coisas criadas, portanto, distinta delas.
  4. Materialismo: Nega o materialismo porque a matéria saiu da ordem (estava sem forma e vazia), o que não condiz com o que Deus é. A matéria foi apenas criada e nunca foi Deus.
  5. Naturalismo: (que é o evolucionismo), pois Gênesis foca no processo de que a criação aconteceu por uma interferência de fora da natureza.
  6. Fatalismo: Não há lugar para o fatalismo porque Deus criou todas as coisas na liberdade de seu querer e não na fatalidade.

Estas seis heresias refutadas são suficientes para mostrar Jesus Revelado no Livro de Gênesis

A interpretação do método em sua narrativa pode variar, mas a verdade essencial e fundamental permanece em Deus que criou todas as coisas. A razão pode até tentar, mas não consegue deixar Deus fora de questão porque Ele é a causa primeira [The Analyzed Bible , G. Campbell Morgan, DD]
 
O filósofo, antropólogo e biólogo inglês Herbert Spencer, coloca cinco fatores de como as formas mais gerais nas quais as manifestações do Incognoscível são divisíveis.

Essas cinco formas são:

  • Tempo;
  • Espaço;
  • Matéria;
  • Força;
  • Movimento. 

Só nos dois primeiros versículos de Gênesis mostra Jesus Revelado no Livro de Gênesis temos tudo isso:

  1. No princípio = Tempo;
  2. Deus criou os céus = Espaço;
  3. E a terra = Matéria;
  4. E o Espírito de Deus = Força
  5. Se movia sobre = Movimento.

Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente (Hb 11.3)

Tudo isso foi feito, vemos Jesus Revelado no Livro de Gênesis, portanto Jesus está revelado no livro de Gênesis tanto na criação, quanto na redenção predita pelo próprio Deus.

II. Jesus Revelado no Livro de Gênesis e o início da raça humana:

A origem do homem como descrito em Gn 1.26,27 e 2.7, está de conformidade com a antropologia, pois, daí, surgiu a instituição do casamento e a formação da família como base da sociedade;

O fato da palavra “Façamos” no plural, já mostra a presença de Jesus na criação do homem.

III. O início do pecado e da morte:

Logo no início das coisas, Gênesis nos mostra o diabo com sua capacidade de mentir, enganar e matar de modo sutil. Ele não pode se esconder porque nos é revelado o seu verdadeiro caráter e que ele seria nosso inimigo sempre.

Esse primeiro ataque do adversário deixou pulsões malignas na alma humana, trazendo a ele forças propulsoras da maldade desencadeando na morte. E todos aqueles que não conseguem dominar essas pulsões, só conseguem praticar obras más como Caim ao matar seu irmão:

“Porque as suas próprias obras eram más e as de seu irmão justas” ( 1Jo 3:12 ).

“Este espírito-Caim implantou um espírito-ódio desde seu tempo até nos dias de hoje.

Os Cains e seus ódios:

  • Caim odiou Abel, Ismael odiava Isaque, Os filhos de Jacó odiavam José, e assim a raça humana imergiu em sua totalidade na indiferença e daí, no ódio, e só foi possível ver uma luz no túnel devido às manifestações de Jesus ao longo da história. O ódio passou a ser contra o próprio Criador, e chegou no ponto culminante de lançar o Filho de Deus na cruz. Olha o que diz as Escrituras:

“Os reis da terra se levantaram, e os governantes foram reunidos contra o Senhor e contra Seu Cristo. Pois, na verdade, contra o Teu Santo Menino Jesus, a quem ungiste, tanto Herodes como Pôncio Pilatos, os gentios e o povo de Israel se ajuntaram” (At 4:26,27).

A inscrição sobre a cruz foi escrita em grego, latim e hebraico, as três grandes e principais línguas da época, a língua das nações e governantes gentios e a língua do povo escolhido, como se estivesse mostrando o envolvimento do mundo inteiro na culpa da morte do Messias.

O paralelo do ódio dos egípcios ao matar as crianças que nascessem homens, e a matança de Herodes para impedir a vinda do Messias, também provam o Jesus Revelado no Livro de Gênesis

IV. O início da Graça:

Com a queda, o levante; com a morte, a revelação da vida; com a desgraça, também se revela a Graça de Deus e desde o primeiro dia da queda, mostra Jesus Revelado no Livro de Gênesis

Foi neste ambiente que recebemos a promessa de um Redentor, que era revelado com a instituição do sacrifício e na Aliança de Deus para redimir o homem.

Tão logo chegou a queda do homem, Gênesis já introduz as promessas como meios de restauração da imagem de Deus outrora perdido na queda.

Fazendo uma comparação dos dois primeiros capítulos de Gênesis com os dois últimos capítulos de Apocalipse nós vemos o início com a inocência do homem e o seu final com a sua santidade já restaurada.

Como diz CLMaynard: “Todos os capítulos intermediários, todo o livro até o final, falam do conflito entre Deus e o pecado”

V. O início da nação escolhida:

Gênesis não camufla a situação humana expondo-a e também nos conta como Deus colocou um fim justamente dando um novo início em Noé.

Mas a nova raça humana começou a idolatrar a si mesma na Torre de Babel e depois partiu para a idolatria criando deuses.

Então Deus chamou Abrão para se tornar Abraão, e a descendência deste foi abençoada, tratada, corrigida e principalmente amada, porém, esta também falou e quando chegamos ao fim do Antigo Testamento, temos apenas o remanescente fiel. Porém, Deus continuou a trabalhar porque já tinha dado a Sua Palavra (Promessa).

As Duas Grandes Divisões de Gênesis:

É muito visível às duas principais divisões do livro e isso nos ajuda ainda mais a entender a Jesus Revelado no Livro de Gênesis:

  1. Capítulos 1-11 – A criação do mundo, do homem, sua queda, a formação das nações com a confusão de línguas na Torre de Babel.
  2. Capítulos 12-50 – A chamada de Deus para Abraão, a formação de sua família até a morte de seu bisneto José (do Egito).

Duas Grandes Vertentes da Revelação de Cristo em Gênesis:

  1. Jesus Revelado no Livro de Gênesis por meio de Profecias;
  2. Jesus Revelado no Livro de Gênesis por meio de Tipos
    1. Pessoas como Tipo de Cristo
    2. Objetos como Tipo de Cristo
    3. Fatos como Tipo de Cristo

Não são apenas Promessas que Deus deu em Gênesis a respeito de Jesus Cristo para restaurar o homem ao seu estado original, mas não é só isso que acontece.

Deus nos dá informações, pistas, rastros e revelações com fartura e por meio de duas vertentes claramente distinguível: Por meio das Profecias e da Tipologia.

I. Jesus Revelado em Gênesis Por Meio de Profecias

  • A primeira é inesquecível e está em Gênesis 3:15 em que a “semente da mulher” feriria a cabeça da serpente.
    • O cumprimento é resumido em Hb 2: 9-14: “… para que pela morte Ele pudesse destruir aquele que tinha o poder da morte, que é o diabo.”
  • Essa mesma semente foi prometida a Abraão para abençoar o mundo inteiro: “Em tua Semente serão benditas todas as nações da terra” (Gn 22:18; 12:3; 17:7; 21:12). 
  • Esta promessa foi repetida a Isaque (Gn 26:4)
  • E novamente repetida para o neto de Abraão – a Jacó (28:14).
  • Também essa benção foi profetizada a Judá (Gn 49:9,10), “Judá é um leãozinho”, por isso nasceu o termo de que Jesus é “o Leão da tribo de Judá” (Ap 5:5).

II. Jesus Revelado em Gênesis Por Meio dos Tipos

Na arte da comunicação, Deus usou muito as tipificações que são coisas ou pessoas individuais que tipificam outra pessoa.

Aqui em Gênesis, temos homens individuais que são tipos [ilustrações ou retratos] de Cristo.

A primeira pessoa “Tipo” de Jesus Cristo é Adão:

  • Adão possui vários aspectos que tipificam a Jesus Cristo: 
    • Como chefe da raça humana forma um paralelo, porque Jesus é o verdadeiro cabeça da nova criação.
    • Adão também tipifica pelo contraste: Adão foi tentado pelo diabo e falhou (Gn 3) – Cristo foi tentado pelo diabo e triunfou (Mt 4).
  • “Assim como pela desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos” (Romanos 5:19).

Outras Pessoas Como Tipos de Jesus Revelado no Livro de Gênesis:

São inúmeras pessoas que se servem do fato de representar de uma forma ou de outra a pessoa do Messias.

Tanto como contraste, como em paralelo eles mostram Jesus Revelado no Livro de Gênesis.

Melquisedeque Revela Jesus em Gênesis:

Melquisedeque – Gn 14: 17-20 comprado com Hebreus 7

Melquisedeque = Rei da Justiça – O Messias reinará em justiça – Isaías 32.1

Melquisedeque = Rei de Salém ou Rei da Paz em paralelo com Jesus que será chamado de Príncipe da Paz – Isaías 9.6,7

Melquisedeque era Rei e sacerdote – Zacarias 6.13 “Jesus se assentará e governará em Seu trono e será um sacerdote

Melquisedeque feito à semelhança ao Filho de Deus – Hb 7.3

Melquisedeque não teve início nem fim de dias e Jesus sempre vive Hb 7.25 e ainda tem um sacerdócio para sempre – Hb 7.24

Na oferta de Isaque Jesus é Revelado em Gênesis:

Uma das tipificações mais bem orquestrada no Antigo Testamento, é a vida de Isaque. Observemos fatos, coisas e pessoas provando que Jesus Revelado no Livro de Gênesis:

Isaque – Gn 22Jesus
Monte MoriáMonte Calvário
Pega teu filho v.2Deus nos falou pelo filho Hb 1.1,2
Teu único filho… Seu Filho unigênito Jo 3.16
A quem tu amasFilho que está no seio do Pai Jo 1.18
Entra na terra de Moriá2Cr 3.1 Salomão construiu a cada do Senhor no Monte Moriá
Sobre uma montanha que te falareiChegaram ao Calvário e o crucificaram Lc 23.33
Oferece-o como holocaustoSantificado pela oferta do corpo de Jesus Cristo Hb 10.5-10
Abraão ergueu os olhos e viu o lugar ao longe v.4Deus já tinha falado pela boca de todos os profetas At 3.18
Abraão tomou a lenha v.6e Ele, carregando Sua cruz Jo 19
Onde está o cordeiro está o holocausto v.7Eis o Cordeiro de Deus Jo 1.29
Deus providenciará para Si mesmo o cordeiro v.8O Cordeiro que foi morto Ap 13.8
Abraão estendeu a mão e pegou a facaDeus agradou moe-lo Is 53.6

 Em José do Egito Jesus Revelado no Livro de Gênesis:

Características da vida de José do Egito são muito claras que comparam como paralelo com Jesus Cristo:

  • O amor que o pai de José possui por ele;
  • José sendo vendido por seus irmãos ao preço de um escravo;
  • José assumindo a forma de servo;
  • José resistindo à tentação, condenado e amarrado;
  • José sendo exaltado para ser um príncipe e um salvador;
  • Providenciando o pão que matava a fome do mundo.

A Maldade Humana e o Propósito Divino:

Em Gn 50:20 e Atos 2:23, o paralelo mostra a grande salvação, em ambos os casos, como sendo o resultado combinado da maldade humana e do propósito divino.

Em Judá, temos uma imagem do Fiador e do Substituto (Gn 43:9; 44:32-34 ).

Coisas ou Fatos Como Tipos de Jesus Cristo:

Propositadamente essas pessoas e também coisas e eventos coloca a imagem de Jesus Cristo em questão e somente os apercebidos podem entender esse propósito.

Observe que todos os textos abaixo seguem a afirmação de que Jesus Revelado no Livro de Gênesis

  • Gênesis 3:18 Deus coloca o espinho como emblema do pecado – foi aqui que Este mesmo emblema nosso Salvador carregou em Sua testa quando Ele foi feito uma maldição por nós [Mateus 27:29].
  • Gn 4: 4 Temos na oferta de Abel, a representatividade de Jesus como o Cordeiro de Deus.
  • Gn 8:20 ; 9: 11-17 ; 15: 9-18 A Aliança de Deus com o homem, sempre baseada no sacrifício e Jesus é o Fiador e o Sacrifício da melhor Aliança, da qual todas essas Alianças eram o tipo (Hb 7:22).
  • Gn 8:20 ; 12:8 ; 26:25 ; 35:1,3,7 Os altares levantado apontam para o Único Sacrifício feito por Cristo.
  • Gênesis 9:4 Já nos mostra que a base da reconciliação é pelo sangue e o apontando como: “O seu sangue, que é a sua vida”.
  • Gênesis 6 Vemos Na Arca, a Salvação que Deus providenciou para nós em Cristo.
  • Gênesis 24 Na história de Rebeca temos a tipificação da Igreja, noiva de Cristo que iria esquecer tudo para ir ao encontro de seu noivo.
  • Em Gênesis também temos a “Escada de Jacó” que tipifica o único intermediador entre Deus e os homens na pessoa de Jesus Cristo.

Jesus Cristo Revelado em Gênesis na Pessoa do “Anjo do Senhor”:

Aquele que declarou dizendo: Antes que Abraão existisse, EU SOU”, certamente é o mesmo personagem que aparecia em forma humana identificado como o Anjo de Jeová. 

  • Ele não esqueceu de Agar Gênesis 16:7-14, dizendo: “Multiplicarei sobremaneira a tua descendência”. O que Agar o chamou pelo nome de Jeová que lhe disse: Tu és Deus que me vê.
  • Foi nas planícies de Manre que Jesus aparece para Abraão (Gênesis 18)
  • O mesmo SENHOR aparece em Gênesis 22:11,15,16, diretamente do céu chamando Abraão e dizendo: “Por mim mesmo jurei, diz Jeová”.
  • Em Gênesis 31:11,13, o mesmo Anjo (agora chamado de Anjo de Deus) fala com Jacó e diz: “Eu sou o Deus de Betel.”
  • O Homem celestial que luta em Gênesis 32, com Jacó até o raiar do dia e até muda o nome de Jacó para Israel, por isso é declarado que – Certamente, este não é outro senão o Filho de Deus, que é o esplendor da glória do Pai, e a imagem expressa de Sua substância (Hb 1:3)

Existem muitas outras provas através de pessoas, coisas, fatos e acontecimentos que evidencia Jesus Revelado no Livro de Gênesis

Deixe uma resposta