Porque Deus Orienta-nos a Orar – Mateus 7.7, 8,11

É inadmissível saber que a chamada de Deus para o cristão orar seria somente para enganá-lo. Pelo contrário, a grande verdade é que o Pai, o Filho e o Espírito Santo está unidos para nos levar à oração e responder nossas perguntas:

I – Ele afirmou que “Aquele que pede, recebe”.

Quem pede, recebe, mas nem sempre recebe o que pede

  1. O que passamos na vida nos afirma isso.
  2. “Aquele que pede, recebe”, mas não diz que recebe o que pede.

II – Aquele que pede, recebe – Alguma coisa.

  1. A oração sempre é atendida e a falta de respostas quase sempre é a melhor das resposta.
  2. As orações são respondidas na perspectiva de Deus.
  3. Devemos simplesmente pedir e receber a melhor resposta de Deus.

III – Aquele Que Ora, só Recebe Coisas Boas:

  1. Existe um tesouro à disposição para dar – Mat. 7:11.
  2. Todas as negações de Deus são como o encher nossas mãos de seda, ouro, pérolas.
  3. Mesmo quando não vemos a resposta podemos perceber:
  4. Luz. – Jer. 33:3. O aposento da oração é lugar de revelação.

(1) É como ao entrarmos num quarto escuro e apertar o botão elétrico: logo temos luz; assim nas perplexidades e dúvidas, pela oração vem luz que salva e guia.

(2) Enquanto Paulo orava, os olhos foram-lhe abertos à luz. – Atos 9:11, 17-18.

(3) O mesmo foi com Cornélio. – Atos 10:29-32.

(4) Na oração Deus dá Submissão – II Cor. 12:8,9.

(5) Não raro pedirmos a Deus alguma coisa em desacordo com Sua vontade, porém no meio da oração somos levados à submissão, abandonando a nossa própria vontade e submetendo-nos à de Deus.

(6) O caso de Getsêmani – “Tua vontade” e “Minha vontade”. A vitória de Jesus nessa oração foi que no princípio havia petição e no fim submissão.

(7) Não pode haver bênção mais preciosa e sublime na vida que a de uma vontade absolutamente submissa a Deus!

 

5. Paz é uma das “boas coisas” que Deus nos concede na oração – Fil. 4:6,7.

(1) A ansiosa solicitude em que vivemos por causa dos fardos da vida provém de querermos nós próprios carregá-los, mas se levarmos esses fardos a Deus em oração, e os depositarmos aos Seus pés, Ele nos dará paz. – Mat. 11:28-30.

(2) O aposento da oração é o lugar onde nasce a paz. – Ex.: Jacó.

(3) Como a criança que por qualquer coisa corre à mãe, assim nós, se quisermos ter a paz de Deus constantemente, devemos procurá-Lo em oração em todas as coisas.

(4) A promessa é: “a paz de Deus guardará os vossos corações”.

Que beleza! O exército acampa-se aqui e acolá, mas uma guarnição fixa-se numa fortaleza e aí fica para sempre.

Assim acontece com a PAZ!

Deixe uma resposta