Salmo 8: A Glória e Dignidade do Filho do Homem

Salmo 8: A Glória e Dignidade do Filho do Homem!

Para o mestre da música de Gittith, um salmo de Davi.

A palavra Gittith pode ter um destes significados:

  • Referir-se a Gate;
  • Pode se referir a uma melodia comumente cantada ali;
  • Um instrumento de música inventado ali, ou
  • Uma canção sobre Golias de Gate.

Remontando às raízes hebraicas, acreditam que significa um cântico para o lagar, um hino alegre para os pisadores de uvas.

O termo Gittith é aplicado a dois outros salmos (81 e 84), ambos de natureza alegre, o que nos permite concluir que, onde encontrarmos essa palavra no título, podemos procurar um hino de prazer.

Podemos pelo estilo intitular esse salmo a “Canção do astrônomo”: vamos sair e cantá-lo sob os céus estrelados ao cair da noite, pois é provável que, em tal posição, tenha primeiro ocorrido à mente do poeta.

O dr. Chalmers diz:

“Há muito no cenário de um céu noturno para elevar a alma a uma contemplação piedosa.

Aquela lua e estas estrelas, o que são?

Destacam-se do mundo, e nos elevam acima dele. Sentimo-nos afastados da terra, e subimos em abstração grandiosa acima deste pequeno teatro de paixões e ansiedades humanas.

A mente se abandona ao devaneio, e é transferida num êxtase de pensamento para regiões distantes e inexploradas.

Vê a natureza na simplicidade de seus grandes elementos, e vê o Deus da natureza investido com os altos atributos de sabedoria e majestade.”

Divisão do Salmo 8: A Glória e Dignidade do Filho do Homem

Salmo 8.1 e 9 – O primeiro e último versículos são um doce canto de admiração, no qual a excelência do nome de Deus é exaltada.

IIº

Salmo 8.2 ao 8 – Os versículos intermediários são constituídos de admiração santa diante da grandeza do Senhor na criação, e sua condescendência para com o homem.

Poole, em suas anotações, o disse bem: “É uma grande interrogação, entre os intérpretes, saber se este salmo fala do homem em geral, e da honra que Deus coloca sobre ele em sua criação; ou somente do homem Jesus Cristo.

Possivelmente, ambos podem ser reconciliados e colocados juntos, e a controvérsia tem fim, porque o objetivo e o assunto deste salmo claramente parecem ser este:

mostrar e celebrar o grande amor e bondade de Deus para com a humanidade, não só em sua criação, mas especialmente na redenção por Jesus Cristo, que, como foi homem, promoveu a honra e o domínio aqui mencionados, para que pudesse continuar sua grande e gloriosa obra. Assim, Cristo é o principal tema deste salmo, e é interpretado assim tanto pelo nosso Senhor mesmo (Mateus 21.16), como por seu santo apóstolo (1Coríntios 15.27; Hebreus 2.6, 7).

Pregando no Salmo 8

Salmo 8.1: – Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, pois puseste a tua glória sobre os céus!

Salmo 8.1 – O Senhor é Nosso

Apropriação pessoal do Senhor como nosso. O privilégio de manter tal porção.

“Como é majestoso”. A excelência do nome e da natureza de Deus em todos os lugares e sob todas as circunstâncias.

Sermão ou preleção sobre a glória de Deus na criação e providência.

“Em toda a terra.” A revelação universal de Deus na sua natureza e sua excelência.

“Tua glória é cantada nos céus.” A glória incompreensível e infinita de Deus.

“Acima dos céus.” A glória de Deus atingindo alturas muito acima do intelecto dos anjos e do esplendor do céu.

Salmo 8.2 – Tu ordenaste força da boca das crianças e dos que mamam, por causa dos teus inimigos, para fazer calar ao inimigo e ao vingador.

Salmo 8.2 – Como Emudecer ao Inimigo

Piedade infantil, sua possibilidade, potência, “força” e influência, “para que possas silenciar”.

A força do evangelho não é resultado de eloqüência ou sabedoria daquele que fala.

Grandes resultados a partir de pequeninas causas quando o Senhor ordena o trabalho.

Grandes coisas que podem ser ditas e afirmadas pelos recém-convertidos, bebês na graça.

O silenciar das forças do mal pelo testemunho de crentes fracos.

O silenciar do Grande Inimigo pelas vitórias da graça.

Salmos 8:3,4 – Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste;
Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?

Salmo 8.4 – O Que é o Homem?

A insignificância do homem.

A consciência de Deus do homem.

Visitas divinas.

A pergunta: “O que é o homem?”

Cada um desses temas pode ser suficiente para um sermão, ou todos podem ser tratados em um sermão.

Salmo 8.5 – Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste.

Salmo 8.5 – O Homem e os Anjos

A relação entre o homem e os anjos.

A posição que Jesus assumiu por nossa causa.

A coroa da humanidade – a glória de nossa natureza na pessoa do Senhor Jesus. VERS. 5, 6, 7, 8. O domínio universal providencial de nosso Senhor Jesus.

Salmo 8.6 – Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés:
7- Todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo,
8- As aves dos céus, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares.

Salmo 8.6-8 – Subjugando Animais Inferiores

Os direitos e as responsabilidades do homem para com os animais inferiores.

O domínio do homem sobre os animais inferiores, e como deve exercê-lo.

O lugar apropriado para todas as coisas mundanas, “sob os seus pés”.

Em Gênesis está estes decretos, porém, O Eterno nunca mandou que o homem dominasse outro homem

Salmo 8.9 – Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome sobre toda a terra!

Salmo 8.9 – Admirando o Nome

Cabe ao peregrino nesta terra se deliciar com a doçura do nome de seu Senhor sob todas as circunstâncias e condições

Deixe uma resposta