Salmos 4: A Noite Segura e Tranquila

Por

Se o Salmos 3 expressa a confiança, apropriadamente o Salmos 4: A Noite Segura e Tranquila, pois só quem confia no Senhor pode ter um dia atribulado e mesmo assim, nos momentos inconscientes do sono, ficar tranquilo porque sabe que estás seguro.

O fato de sabermos que repousaremos em segurança já nos dá novo ânimo para levantar seguro e ficarmos prontos para a batalha do dia.

Daí, a nossa canção:

“Assim, com as ideias compostas, tranquilas,
Entrego-me ao sono que dás.
Tua mão bem seguros conserva meus dias
E ao sono me entrego em paz.”

Não é por menos que já entra endereçado: “Ao mestre da música. Com instrumentos de cordas. Salmo Davídico”.

O mestre da música era o diretor da música sagrada do santuário.

Para uma maior compreensão sobre o “mestre da música”, faça uma leitura cuidadosamente 1Crônicas 6.31, 32; 13.16-22; 23.1,7.

Nessas passagens, o amante da música sacra encontrará muita coisa interessante e que explicará qual era a maneira de louvar Deus no templo. Alguns dos títulos dos salmos, sem dúvida vêm dos nomes de certos cantores célebres, que compuseram a música com a qual eram cantados.

Com instrumentos de cordas, ou instrumentos de mão, que eram tocados somente com as mãos, como harpas e címbalos.

A música sacra não foi criada para me estimular a ser feliz, e sim para expressar a minha felicidade em Deus após conhece-lo – se bem que o contrário também aconteça.

A alegria da igreja judaica era tão grande que precisava de música para expressar os sentimentos de deleite de suas almas.

Nossa alegria santa não é menos transbordante por preferirmos expressá-la de maneira mais espiritual, como convém a uma dispensação espiritual.

Aludindo a esses instrumentos tocados com a mão, Nazianzo diz:

“Senhor, eu sou um instrumento para tu tocares”.

Abramo-nos ao toque do Espírito, e assim faremos melodia. Possamos ser cheios de fé e amor, e seremos instrumentos de música vivos.

Hawker diz:

“A Septuaginta lê a palavra que temos em nossa tradução como mestre da música Lamenetz, em vez de Lamenetzoth, do qual o sentido é até o fim.

Mas o sentido não é “Até o fim da nossa vida”, mas sim, “Até o fim” que está em Cristo e isso é apenas um grande começo

Foi de onde os pais gregos e latinos imaginaram que todos os salmos que levam essa inscrição se referem ao Messias, o grande fim.

Nesse caso, este salmo á dirigido a Cristo; e bem pode ser esse o caso, porque é todo sobre Cristo, e falado por Cristo, e diz respeito somente ao seu povo como sendo um com Cristo. O Senhor, o Espírito, permita que o leitor entenda isso e, assim, ele o descobrirá ser muito abençoado.

Divisão do Salmos 4

A Divisão do texto é muito importante para separar assuntos abordados e aumentar a compreensão da mensagem:

v1: Davi entra com um clamor a Deus para que seja auxiliado;

v2-v5: Segue-se uma discussão de Davi com seus inimigos que segue até o final do versículo 5;

v6-v8: até o último versículo, Davi coloca em paralelo sua satisfação e segurança em comparação com a inquietação dos ímpios em seus melhores momentos

Pregando no Salmos 4: Ajuda no raciocínio para ampliar sua mensagem

Os textos a seguir são apenas um auxilio para criar uma mensagem direcionada que faça sentido

Salmos 4.1: Responde-me quando eu clamar, ó Deus da minha justiça! Na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.

Salmos 4.1 – Pode-se tirar muitos temas neste versículo

Fornece farto material para um sermão sobre misericórdias passadas como súplica para ajuda presente.

A primeira sentença mostra que crentes desejam, esperam e creem num Deus que ouve a oração.

O título – Deus da minha justiça – é uma ideia para um texto, e a última sentença poderá sugerir um sermão sobre “Até o melhor dos santos ainda precisa apelar à misericórdia e graça soberana de Deus”.

Salmos 4.2: Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira?

Salmos 4.2 – Demonstração de que o homem é depravado

1. Depravado por continuar a desprezar Cristo;
2. Depravado por amar a vaidade no seu coração; e
3. Depravado por buscar mentiras em sua vida cotidiana;
4. Até onde o pecador irá sem cair em si?
5. Por quanto tempo continuará insolente?

Salmos 4.3: Sabei que o Senhor separou para si aquele que é piedoso; o Senhor me ouve quando eu clamo a ele.

Salmos 4.3 – Os ouvidos do Senhor

Devemos saber a “quem” Deus escolheu ouvir.

Deus ouvirá a súplica do piedoso – esse é o caminho que cruza com os caminhos de Deus, por isso, mesmo que seja difícil, devemos continuar no propósito

“O Senhor ouvirá quando eu o invocar”. Respostas à oração são certas para pessoas especiais.

Note bem aqueles que podem receber o favor. O gracioso separador. Quem é ele?
Quem o separou?
Com que finalidade?
Como fazer com que as pessoas saibam?

Salmos 4.4: Irai-vos e não pequeis; consultai com o vosso coração em vosso leito, e calai-vos.

Salmos 4.4 – Que o pecador possa se enxergar pecador

Se o pecador se enxergar como pecador – poderá convencer de seu pecado e buscar o arrependimento

“Aquietem-se”:
Um conselho – bom e prático, mas difícil de seguir.

Há momentos em que são oportunos.

Graças são necessárias para que a pessoa consiga aquietar-se.

Os resultados da tranquilidade.

As pessoas que mais precisam deste conselho.

Exemplos de sua prática; (aqui há muito material para um sermão).

Salmos 4.5: Oferecei sacrifícios de justiça, e confiai no Senhor.

Salmos 4.5 – Sacrifício deve ser com Fé

Nenhuma ação, oferta, jejuns ou quaisquer sacrifícios mesmo que paulatinamente nos parâmetros das ordens de Deus será aceito se não for feito por Fé.

Na verdade o texto traz a palavra “Confiança” – que sugere que uma pessoa acredita na outra por meio da experiência, pois quando começamos a caminhar com Deus, logo sabemos que podemos confiar n’Ele – Isso é Fé.

Salmos 4.6: Muitos dizem: Quem nos mostrará o bem? Levanta, Senhor, sobre nós a luz do teu rosto.

Salmos 4.6 – A Pergunta de Muitos: “Quem?”

Não são todos os que perguntam, mas grande parte da multidão está perguntando para obter a resposta.

E não apenas de uma multidão que está no mundo, mas também uma multidão que está na igreja

Porém, é a igreja mesmo que “manquejando” foi deixada para isso – ser sal, ser luz e apontar para o único “Quem” – O Senhor

Cabe aqui a prece de Davi: “Faze, ó Senhor, resplandecer sobre nós a luz do teu rosto!

Salmos 4.7: Puseste no meu coração mais alegria do que a deles no tempo em que se lhes multiplicam o trigo e o vinho.

Salmos 4.7 – A Certeza do Amor de Deus

Aqui encontramos a fonte do júbilo, da alegria ímpar.

Qual a fonte do desfrute do bem?

1. A fonte delas, “És Tu! Senhor!”;
2. Seu tempo? Agora – “Encheste“;
3. Sua localização? “No meu coração“;
4. Sua essência? “alegria maior do que… (dos) que têm fartura de trigo e de vinho“.

Outros temas excelente é sugerido:

“A superioridade das alegrias da graça comparadas às alegrias da terra”; ou

“Dois tipos de prosperidade – qual a mais desejável?”

Salmos 4.8: Em paz me deitarei e dormirei, porque só tu, Senhor, me fazes habitar em segurança.

Salmos 4.8 – A Segurança do Cristão

Eis o melhor quarto para o cristão: O do Salmos 4

O melhor “boa noite” é quando podemos deitar em segurança por causa dos cuidados de nosso Senhor

Salmos 4.2-8:

I. Admoestação, v2.
II. Instrução, v3.
III. Exortação, v4, 3.
IV. Testemunho às bênçãos da verdadeira religião v6,7.
V. Exemplificação daquele testemunho pela paz da fé, v8.

Deixe uma resposta